#8 – Se a expectativa média de vida humana fosse de 40 anos, você estaria vivendo sua vida de outra maneira?

untitled

Imagem: We heart It

Acredito que não! Seria a mesma coisa. As coisas só iam começar mais cedo! Começar a trabalhar e formar uma família, por exemplo, seria com 13 ou 15 anos. Agora, se eu descobrisse que iria viver até os quarenta, lógico que tentaria realizar o máximo das minhas ambições. Teria uma motivação para ficar mais focada nos objetivos. A gente sempre acha que tem a vida toda pela frente e, às vezes, procrastina.

#01 Definindo meu estilo: meu tipo de corpo e as regras não tão seguidas

image6

Eu estava refletindo esses dias em como a gente muda à medida que envelhecemos. Não falo somente da parte física da coisa, mas nas nossas ideias, pensamentos e a forma de levar a vida. Eu, ultimamente ando mudando a forma com que eu encaro a questão do consumo. Quando tinha vinte e poucos anos, achava que a quantidade era o que mais importava e saia comprando dezenas de blusinhas e acessórios. Agora, dez anos depois, ando muito mais seletiva e quase não compro mais as coisas por impulso. Essa minha busca pelo consumo consciente despertou a vontade de conhecer melhor o meu corpo, o que fica melhor em mim e o que me deixa feliz.

Existem basicamente, cinco tipos de corpos (como podem ver, na ilustração acima), o meu é o chamado formato pêra. O formato pêra é aquele que a largura do quadril é maior que a largura dos ombros e as pernas são mais grossas (Confesso que aprendi a aceitar meu corpo. Acho mais bonito pernas longas!). Lendo sobre esse tipo de corpo, vi que deve-se chamar atenção para a parte de cima do corpo e neutralizar a parte inferior. Porém, umas das coisas que eu mais amo, que são as saias mais amplas, são uma heresia para esse formato. E aí? A gente deve deixar de usar alguma coisa que nos faz bem, por causa de convenções sociais?

Eu adoro pregas, saias godê e rodadas. E vou continuar a usar, tendo quadril largo ou não. Acredito que a moda foi feita para nos fazer bem e não para impor isso ou aquilo. Mas, se conhecer e conhecer alguns truques na moda ajuda muito no consumo.Atualmente, busco comprar peças que favoreçam o meu corpo, mas nunca esquecendo do meu gosto pessoal e do que me faz feliz. 

E vocês? Como lidam com a moda? Acham que o auto conhecimento ajuda no consumo consciente? Já deixou de usar alguma coisa só porque a moda “diz” que é errado? Comentem! 🙂

Como estou organizando as minhas metas de 2017

large-2

Alguém sabe me informar em qual momento eu dormi? Gente, já estamos quase no meio de janeiro! Como assim Brasil? Essa rapidez dos dias me fez refletir sobre como eu quero levar a minha vida e meus objetivos em 2017. Ano passado, não foi um ano de grandes realizações para mim. Não quer dizer que foi ruim, mas poderia ser muito mais interessante se eu tivesse me esforçado mais. Por isso, decidi mudar a estratégia para cumprir minhas metas desse ano. Estou aplicando o esquema SMART, em que a meta tem que ser detalhada da seguinte forma:

  1. Ser Específica (Specific). Por exemplo, você não pode ter como meta “comprar um carro”. A meta deve ser descrita como “comprar um Honda Civic, preto, 2017, automático, completo, à vista, em agosto”. Sua meta deve ser a mais específica possível!
  2. Mensurável (Mensurable). Como você vai saber se está chegando perto de cumprir a meta ou se está atrasada? No caso do carro, você precisa saber quanto custa o carro. Se ele custa, por exemplo, 80 mil reais. Quanto você precisa juntar até  agosto para conseguir alcançar a meta?
  3. Alcançável (Achievable). Esse item é o que as pessoas mais erram. E podemos tomar como exemplo o item anterior. Pensando hipoteticamente, se você tem um salário de R$2.000 líquidos e tem somente R$20 mil reais na poupança, responda: Como conseguirá comprar um carro que vale R$ 80 mil em oito meses? Só se ganhar em sorteio ou na loteria, não é mesmo? Pense sempre: a meta tem que ser alcançável! Não adianta eu querer juntar dois milhões em dois meses, que o máximo que vou conseguir é  me frustrar.
  4. Relevante (Relevant). Para termos gás para correr atrás da meta, a coisa precisa ter um sentido para nós. Por que eu quero um Honda Civic preto? Porque eu gosto? Porque eu acho bonito? Porque é mais confortável? Ou porque minha namorada ou namorado acha bonito? A meta tem que ser importante para VOCÊ.
  5. Prazo (Time). Sua meta tem que ter um prazo! No nosso exemplo, o prazo para comprar o carro é até agosto.

Se você conseguir encaixar a meta dentro desses cinco itens, com certeza ela será realizada! Manter o foco e nunca desanimar é muito importante também.

Outra coisa que estou adotando é: Não fale as suas metas para ninguém! Estudos comprovam que toda vez que você fala sua meta, ela não acontece. Portanto, só vamos falar sobre a meta quando ela estiver com o check verdinho!

#1 – Projeto “Lendo O Senhor dos Anéis”

capa

Olá pessoas! Estou de volta, e hoje vim falar do meu primeiro projeto literário: o Lendo O Senhor dos Anéis! Eu li esse livro quando eu tinha 15 anos de idade, na escola sob influência dos meus amigos nerds e da iminência do lançamento dos filmes no cinema.

Lembro que eu sofri para ler porque a escrita do Tolkien é bem pesada. Acho que levei uns bons 6 meses (ou mais!) para ler a obra completa e em alguns momentos durante a leitura, eu achei que ia sucumbir. Maaas, consegui chegar até a minha montanha da perdição pessoal e conclui a missão com louvor e posso dizer que é muito bom!

E, por esses dias, me bateu uma vontade de reler para saber se aquela dificuldade que senti ao ler foi por causa da pouca idade ou por ser difícil mesmo. E foi aí que a Tati Feltrin, uma booktuber que eu adoro e acompanho há anos, decidiu fazer um projeto “Lendo o Senhor dos Anéis”. Essa foi a deixa para eu me animar de vez e decidi embarcar no projeto com ela! Fiquei tão animada que gravei um vídeo falando desse projetinho!

Se quiserem entrar na brincadeira ou somente saber um pouco mais do projeto, clique aqui ou clique na foto do post!

Vocês já leram alguma obra do Tolkien? O que acharam?

Livros lidos em 2016

capa

Olá pessoas lindas! O post de hoje é para falar sobre os livros que eu li em 2016! Ano passado, foi o ano da minha retomada de leituras. Fazia séculos que eu não tinha uma produtividade como essa. É claro que, em relação aos leitores ávidos, oito livros são sinônimo de fracasso. Mas não para mim! Sair de zero livros, para oito livros lidos em 2016! Uma grande vitória para dona Morena aqui. Eu fiz, até vídeozinho no meu velho e esquecido canal do Youtube falando mais detalhadamente sobre cada um deles. Se tiverem interesse é só dar uma passadinha lá para conferir. É só clicar aqui ou clicar na foto aí em cima!  Já aviso de antemão que meu vídeo é amadorzão e comecei a fazer para passar o tempo (que anda bem disponível para mim nos últimos meses).  Continuar lendo