Infinistante: três coisas que aprendi lendo “Mostre seu trabalho”

download

Pois é! Como se já não bastasse a quantidade de coisa que tenho para fazer (trabalhos da faculdade, procura emprego, projeto de extensão, caçar freelas e relatório de estágio), eu inventei de entrar para um clube de leitura! Mas, não é um clube de leitura qualquer: é o Infinistante. Esse projeto foi criado pela Maki, do Desancorando, pela Mel do Serendipity e pela Loma, do Sernaiotto. Ele consiste em escolher um livro para ler por mês e depois compartilhar as suas impressões sobre ele.

O livro escolhido para fevereiro foi o “Mostre seu trabalho”, do Austin Kleon. Confesso que nunca tinha ouvido falar nele até então. Dei uma fuçadinha na net para saber mais sobre ele e descobri que ele é autor de três livros ilustrados e que ele fala sobre criatividade dentro e fora do mundo digital. Confesso que a minha primeira impressão foi muito boa! Ele apresenta o assunto de forma leve e gostosa de ler. A escrita dele não tem aquele tom de cobrança ou de “tem que fazer isso ou aquilo”. Comparo o livro a um encontro e melhores amigos para tomar um sorvete e colocar a conversa em dia.

Ele mostra muita coisa sobre compartilhamento de ideias e de como vender seu trabalho. Eu linkei muito com a questão do ensinar/aprender, assunto que estudo bastante na graduação (para quem não sabe, faço licenciatura em teatro). Mas sem mais delongas, vamos às três coisas que aprendi lendo “Mostre seu trabalho”

  1. Quanto mais você compartilha, mais aprende. Uma passagem do livro que achei sensacional foi: “Se você examinar a história com atenção, muitas das pessoas que consideramos gênios solitários eram na verdade parte de uma ‘cena onde havia apoio, troca, exibição de trabalhos, cópias, roubo de ideias e contribuições também'”.  Ensinar é uma das melhores formas de aprender algo. Além disso, ouvir o que as pessoas tem a dizer traz um conhecimento muito mais profundo do que se você estivesse trancada dentro do quarto fazendo seu trabalho. Quanto mais a gente compartilha, mais pontos de vistas surgem e mais possibilidades para uma mesma coisa aparecem.
  2. Não focar na chegada e sim na caminhada. As pessoas não querem ver somente um bom trabalho, elas querem aprender junto com você, elas querem se sentir parte da criação. E isso causa nas pessoas uma sensação de pertencimento muito legal.
  3. Compartilhe coisas que agregam alguma coisa. Será que vale à pena sair compartilhando tudo a torto e a direito? Será que não poderíamos mandar para o mundo somente coisas que acrescente algo na vida de alguém? Antes de compartilhar algo, pergunte a si mesmo: Isso é útil? é interessante? É algo que me sinto confortável em postar caso meu chefe ou a minha mãe vejam?

Obviamente, o livro é muito mais do que isso. Mas, essas três coisas são as que mais me atravessaram e que me fizeram refletir sobre como eu estou mostrando meu trabalho, ou melhor, Será que eu estou mostrando meu trabalho?

Super recomento este livro, principalmente se você desejar uma leitura fluida, gostosa e uma injeção de motivação. Leia e corre que ainda dá tempo de colocar as ideias em prática em 2018!

Anúncios

#1 – Projeto “Lendo O Senhor dos Anéis”

capa

Olá pessoas! Estou de volta, e hoje vim falar do meu primeiro projeto literário: o Lendo O Senhor dos Anéis! Eu li esse livro quando eu tinha 15 anos de idade, na escola sob influência dos meus amigos nerds e da iminência do lançamento dos filmes no cinema.

Lembro que eu sofri para ler porque a escrita do Tolkien é bem pesada. Acho que levei uns bons 6 meses (ou mais!) para ler a obra completa e em alguns momentos durante a leitura, eu achei que ia sucumbir. Maaas, consegui chegar até a minha montanha da perdição pessoal e conclui a missão com louvor e posso dizer que é muito bom!

E, por esses dias, me bateu uma vontade de reler para saber se aquela dificuldade que senti ao ler foi por causa da pouca idade ou por ser difícil mesmo. E foi aí que a Tati Feltrin, uma booktuber que eu adoro e acompanho há anos, decidiu fazer um projeto “Lendo o Senhor dos Anéis”. Essa foi a deixa para eu me animar de vez e decidi embarcar no projeto com ela! Fiquei tão animada que gravei um vídeo falando desse projetinho!

Se quiserem entrar na brincadeira ou somente saber um pouco mais do projeto, clique aqui ou clique na foto do post!

Vocês já leram alguma obra do Tolkien? O que acharam?

Livros lidos em 2016

capa

Olá pessoas lindas! O post de hoje é para falar sobre os livros que eu li em 2016! Ano passado, foi o ano da minha retomada de leituras. Fazia séculos que eu não tinha uma produtividade como essa. É claro que, em relação aos leitores ávidos, oito livros são sinônimo de fracasso. Mas não para mim! Sair de zero livros, para oito livros lidos em 2016! Uma grande vitória para dona Morena aqui. Eu fiz, até vídeozinho no meu velho e esquecido canal do Youtube falando mais detalhadamente sobre cada um deles. Se tiverem interesse é só dar uma passadinha lá para conferir. É só clicar aqui ou clicar na foto aí em cima!  Já aviso de antemão que meu vídeo é amadorzão e comecei a fazer para passar o tempo (que anda bem disponível para mim nos últimos meses).  Continuar lendo

05 motivos para ler: A Lista Negra, Jennifer Brown

F01

Começando a sessão livraria aqui do blog, hoje vou falar um pouco sobre um livro que tem como conflito um tema bem delicado e que precisa ser cada dia mais discutido no universo estudantil: o bullying. A Lista Negra é um livro de uma autora chamada Jennifer Brown e se passa nos EUA.

F02

O livro narra a história de uma garota chamada Val e seu namorado Nick. Os dois possuem problemas familiares e sofrem bullying na escola em que cursam o ensino médio. Como válvula de escape, os dois criam uma lista com os nomes de todos os alunos que os fazem sentir mal. Porém, Nick leva isso bem à sério e certo dia abre fogo contra vários alunos na cantina da escola. Val tenta detê-lo e é atingida também. Agora ela está de volta à escola para se readaptar e terminar o ensino médio, tudo isso sob os olhos julgadores de todos ao seu redor.

F03

5 motivos para ler:

  • Trata de assuntos que permeiam a vida dos jovens em idade escolar;
  • Mostra  por que o bullying precisa ser discutido dentro e fora da escola;
  • Apresenta também o outro lado. Não que seja uma justificativa, mas mostra a todos os leitores as motivações que fizeram o Nick a cometer o crime;
  • Mostra como nós somos cruéis com os outros e que tudo o que eles sofreram acontecem em qualquer escola (e com certeza vocês já vivenciaram isso!);
  • Possui um final tão, mas tão triste, que nos faz refletir horas sobre as nossas atitudes.

E 01 para não ler:

  • Não é um motivo para não ler, mas como eu já passei da idade escolar há anos, não me senti dentro da história. Acredito que o livro irá tocar muito mais um adolescente do que um jovem adulto.

Alguém já leu esse livro? O que achou?