Retomando o projeto “101 coisas em 1001 dias”

large

Oláaaa! Depois de quatro meses de hiato, eis que dona Morena está dando as caras por aqui. Me assustei quando percebi que já estamos em novembro e daqui a pouco 2017 estará batendo na minha porta. E isso me lembrou uma coisa: meu projeto 101 coisas em 1001 dias termina no final do ano que vem e eu deixei ele paradão. Como a gente procrastina, né? Tudo bem que eu fiz um monte de coisa e não atualizei, mas a maior parte eu ainda nem me mobilizei para executar. Por isso, estou oficialmente informando que sim, minha gente, irei retomar o projeto 101 coisas em 1001 dias! E vou começar atualizando a lista (muita coisa mudou, coisas que não tem mais como realizar etc) nos próximos posts sobre o assunto. Continuar lendo

#7 – Você está fazendo aquilo que acredita, ou você se conforma com o que está fazendo?

foto 01

Confesso que não sei. Ultimamente tenho estado cansada e desanimada. As vezes fico refletindo sobre as minhas escolhas e sobre o resultado delas até aqui. As vezes acho que tudo o que escolhi para mim foi o certo. Outras vezes acho que ainda não me encontrei realmente. O tempo não pára e isso assusta demais. Tenho medo do tempo passar e eu não realizar tudo o que eu desejo. E acho que esse medo só existe porque ainda não acredito realmente no que eu estou fazendo.

05 motivos para ler: A Lista Negra, Jennifer Brown

F01

Começando a sessão livraria aqui do blog, hoje vou falar um pouco sobre um livro que tem como conflito um tema bem delicado e que precisa ser cada dia mais discutido no universo estudantil: o bullying. A Lista Negra é um livro de uma autora chamada Jennifer Brown e se passa nos EUA.

F02

O livro narra a história de uma garota chamada Val e seu namorado Nick. Os dois possuem problemas familiares e sofrem bullying na escola em que cursam o ensino médio. Como válvula de escape, os dois criam uma lista com os nomes de todos os alunos que os fazem sentir mal. Porém, Nick leva isso bem à sério e certo dia abre fogo contra vários alunos na cantina da escola. Val tenta detê-lo e é atingida também. Agora ela está de volta à escola para se readaptar e terminar o ensino médio, tudo isso sob os olhos julgadores de todos ao seu redor.

F03

5 motivos para ler:

  • Trata de assuntos que permeiam a vida dos jovens em idade escolar;
  • Mostra  por que o bullying precisa ser discutido dentro e fora da escola;
  • Apresenta também o outro lado. Não que seja uma justificativa, mas mostra a todos os leitores as motivações que fizeram o Nick a cometer o crime;
  • Mostra como nós somos cruéis com os outros e que tudo o que eles sofreram acontecem em qualquer escola (e com certeza vocês já vivenciaram isso!);
  • Possui um final tão, mas tão triste, que nos faz refletir horas sobre as nossas atitudes.

E 01 para não ler:

  • Não é um motivo para não ler, mas como eu já passei da idade escolar há anos, não me senti dentro da história. Acredito que o livro irá tocar muito mais um adolescente do que um jovem adulto.

Alguém já leu esse livro? O que achou?

 

 

#outfit04: Estrelinhas P&B

IMG_5458_edited04

Esses dias eu estava assistindo um vídeo no canal da Lu Ferreira, o Chata de Galocha, e ela começou a falar sobre looks do dia. Em um momento ela comentou sobre o primeiro look dela e que a foto foi feita dentro do quarto dela, com tripé e bem amadorzão, bem diferente das produções mega profissionais de hoje em dia que as blogueiras costumam fazer. E isso me fez refletir sobre uma série de assuntos.

Eu comecei a acompanhar esse mundo de blog e Youtube lá em 2008 e fui acompanhando a evolução desse mercado,  do amador para o sofisticado. Confesso que gostava muito mais quando cada post era mais pessoal. A Glamourização das blogueiras (que eu acho muito legal, principalmente para as meninas que eu acompanho desde o começo) tirou a característica mais interessante desse mundo: a proximidade com a vida real.

Adoro saber as tendências e as fotos inspiradoras de cada uma delas, mas elas acabaram se transformando nas  celebridades inalcançáveis, como as modelos, cantoras e atrizes de Hollywood que sonhávamos em ser antigamente.

Mas, eu sou uma pseudo-blogueira, e gosto de usar essa história de outfit para deixar registrado as variadas possibilidades que posso lançar mão com as minhas peças. Essa semana mesmo eu estava naquela crise do não-tenho-roupa-só-tenho-lixo, e na verdade, não é verdade! Tenho peças suficientes, só que não aproveitadas. Acabo usando as mesmas meia dúzias de roupas de sempre e esqueço do restante do guarda-roupa.

Então, o registro de hoje vai para o roupinha que  utilizei para ir almoçar com a minha avó. Coloquei meu vestido P&B com a padronagem de estrelinhas e minha sapatilha inspirada naquela do valentino (ainda não tenho dinheiro coragem para pagar R$5.000 em uma!).

BHPJ8215Vestido, C&A | Sapatilha inspired, Azurra | Relógio, Casio.

#6 – Se a felicidade fosse moeda nacional, qual seria o trabalho que te tornaria rico?

large

Voltando as respostas das 50 perguntas que irão mudar a minha mente, eis a pergunta nº 6: Se a felicidade fosse moeda nacional, qual seria o trabalho que te tornaria rico? 

Pois bem… essa é uma pergunta difícil de responder porque eu possuo infinitas áreas de interesse. Desde a matemática até uma aula sobre teatro japonês.

Hoje o meu trabalho, e principal fonte de renda, é a engenharia e eu adoro o que eu faço. É lógico que às vezes bate um desânimo, mas um sentimento normal.Nada que me faça sofrer e achar que a vida é uma tristeza sem fim (rsrs). Acho que por gostar de tantas coisas eu acabo tendo a impressão que não gosto de nada.  Continuar lendo